Pular para o conteúdo principal

Guardar - Antônio Cícero





Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por
admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por
ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por isso, melhor se guarda o vôo de um pássaro
Do que de um pássaro sem vôos.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica,
por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Por guardar-se o que se quer guardar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lactente de 11 meses é trazido ao pronto-socorro com palidez cutânea e mucosa súbita. Há relato de diarréia recente. Apresenta hemoglobina = 6,5 g/dL; leucócitos = 8.000/mm3; plaquetas = 50.000/mm3; reticulócitos = 8%; hemácias crenadas e esquizócitos; DHL = 800 U/L; creatinina = 1,5 mg/dL. O diagnóstico mais provável é:
a) síndrome hemolítico-urêmica;
b) ricketsiose;
c) púrpura trombocitopênica idiopática;
d) leucemia linfóide aguda;
e) anemia hemolítica auto-imune.

Alternativa A

Percorra seus olhos sobre o enunciado e encontre a 'palavra chave': esquizócitos. O que são
esquízócítos? O prefixo esquizo significa 'fragmento' - por exemplo: esquizofrênico (esquizo + frenos) significa "mente fragmentada". Portanto, esquizócito (esquizo + cito) significa "células fragmentadas", neste caso são os fragmentos de hemácia. A presença de esquizócitos no sangue periférico indica uma destruição mecânica de hemácias, fazendo lembrar algumas causas importantes …

Tratamento de Triglicerídeos com Fibratos

O tratamento recomendado de maior eficácia para a hipertrigliceridemia é com os fibratos, indiscutivelmente, porém o custo do tratamento é significativamente alto e deve ser levado em consideração na escolha do tratamento. Negocie com seu paciente a possibilidade de manipulação do fenofibrato, que tem um custo melhor. Não há problema com seu uso prolongado, porém com a associação com LDL levemente aumentado, vale a pena pensar em usar as estatinas.
Outras drogas são também recomendadas, conforme a diretriz de dislipidemia da Sociedade Brasileira de Cardiologia, porém as mudanças de hábito de vida são sempre a primeira opção, com tratamento medicamentoso complementar, se necessário. Investigue bem uma possível alteração glicêmica, com possibilidade inclusive de realizar teste de tolerância, pois a elevação dos triglicerídeos está intimamente ligada a alteração glicêmica de base.
Seguem algumas orientações da diretriz:
“Excesso de peso, obesidade e síndrome plurimetabólica: O excesso…

PROVA DE REVALIDAÇÃO U. F. M. T. 2010

PARTE OBJETIVA - Cirurgia
As hérnias diafragmáticas podem ser classificadas em: posterolateral, paraesternal ou retroesternal, hiatal e traumática. Sobre o assunto, assinale a afirmativa correta. a) A hérnia de Bochdalek é paraesternal e é a mais frequente nos recém–natos.
b) As hérnias de deslizamento (tipo I: migração da cárdia para o mediastino) e as hérnias de rolamento (tipo II: deslocamento do fundo gástrico para o mediastino) são exemplos de hérnias hiatais.
c) A hérnia de Morgagni é uma hérnia congênita e sua causa é a ausência do fechamento normal do canal pleuroperitoneal (hérnia posterolateral).
d) As hérnias de deslizamento (tipo I: deslocamento do fundo gástrico para o mediastino) e as hérnias de rolamento (tipo II: migração da cárdia para o mediastino) são exemplos de hérnias hiatais.
e) Nas hérnias hiatais de rolamento está indicado o tratamento cirúrgico somente se houver associação com a Doença do Refluxo Gastroesofágico.
VER RESPOSTA

Quanto ao câncer colorretal e aos tumores…